Bem-vindo ao Blogue das Bibliotecas Escolares do agrupamento da Maia!

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Fevereiro... mês dos afetos e dos valores!

Um poema para começar o dia!

Dai-me 

Dai-me a casa vazia e simples onde a luz é preciosa. 
Dai-me a beleza intensa e nua do que é frugal. 
Quero comer devagar e gravemente como aquele que sabe o contorno carnudo e o peso grave das coisas.
Não quero possuir a terra mas ser um com ela. 
Não quero possuir nem dominar porque quero ser: esta é a necessidade.
Com veemência e fúria defendo a fidelidade ao estar terrestre. 
O mundo do ter perturba e paralisa e desvia em seus circuitos o estar, o viver, o ser. 
Dai-me a claridade daquilo que é exatamente o necessário. 
Dai-me a limpeza de que não haja lucro. 
Que a vida seja limpa de todo o luxo e de todo o lixo. 
Chegou o tempo da nova aliança com a vida.

Sophia de Mello Breyner Andresen | "inédito" - sem data.

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Fevereiro... mês dos afetos e dos valores!

Um poema para começar o dia

ENCONTRO

Nada entre nós tem o nome da pressa.
Conhecemo-nos assim, devagar, o cuidado
traçou os seus próprios labirintos. Sobre a pele
é sempre a primeira vez que os gestos acontecem.

Porém, se se abrir uma porta para o verão,
vemos as mesmas coisas....
o que fica para além da planície  e da falésia; a ilha,
um rebanho, um barco à espera de partir, uma palavra
que nunca escreveremos. Entre nós

o tempo desenha-se assim, devagar.
daríamos sempre pelo mais pequeno engano.

Rosa Lima, in "Alquimia do Olhar" (por publicar)

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Fevereiro... mês dos afetos e dos valores!

Respeito pela Natureza

A natureza é generosa com os seres humanos, 
mas os seus dons esgotar-se-ão devido à cegueira e ao egoísmo 
daqueles que põem os seus interesses acima do interesse comum.

Sê responsável!

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Fevereiro... mês dos afetos e dos valores!

Simplicidade

Aqueles que gostam de se enaltecer
atraem a inveja dos demais e acabam
sozinhos. Quem tem verdadeiro valor é
discreto e simples, trata os outros com
afabilidade e não procura ser o centro das
atenções. É um sinal de imaturidade a
atitude exibicionista de tantos jovens, que
gostam de se fazer notar pelos piores motivos:
a indisciplina, a ignorância e a grosseria.
Muitos acabam na marginalidade.

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Fevereiro... mês dos afetos e dos valores!

Na EB 2,3 de Gueifães, também, tem decorrido assim!

Recados de Afeto

Contos de Valor


Mensagens com Valor!

Concurso "Ilustrar afetos... lendo contos!"

Sudoku em afetos

Jogo dos afetos e dos valores

Exposição bibliográfica

Fevereiro... mês dos afetos e dos valores!


Honestidade

Há muitas pessoas para quem o
dinheiro é mais importante do
que a dignidade própria.
São incapazes de ver beleza nas
coisas simples e não olham a meios
para enriquecer. Essas pessoas
nunca terão verdadeira alegria!

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Fevereiro... mês dos afetos e dos valores!

Delicadeza

Deves tratar as pessoas com

delicadeza, de contrário elas

afastar-se-ão de ti.

Um pequeno gesto afectuoso pode

ter um grande significado.

domingo, 18 de fevereiro de 2018

Fevereiro...mês dos afetos e dos valores!


Esperança

"A família deve cultivar a esperança, dar o exemplo, e encorajar os filhos a saírem para o mundo para fazerem a verdaeira diferença."

Jane Goodall

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

12ª Edição do Concurso Nacional de Leitura

12ª Edição do Concurso Nacional de Leitura 
1ª edição para o 2ª Ciclo 


Obras propostas para o 2º Ciclo 
Prova a nível de escola (1ª fase) 



Isabel Zambujal, Um Saltinho ao Porto 


Em "Um Saltinho ao Porto" a cidade é apresentada aos mais novos, através de uma visita guiada por João, o menino que quando for grande quer desenhar novas pontes para o Douro. De monumento em monumento, de bairro em bairro são divulgados factos históricos e histórias verdadeiras que parecem de brincar. 

EXCERTO 

“Qual é a cidade, qual é ela, que é conhecida em todo o mundo mas mantém a pureza de uma aldeia? Que é rica em mestres do bê-á-bá mas troca os vês pelos bês? Que acorda com a neblina mas ao seu vinho chamam “sol líquido”? 

12ª Edição do Concurso Nacional de Leitura


12ª Edição do Concurso Nacional de Leitura 
1ª edição para o 2ª Ciclo 

Obras propostas para o 2º Ciclo 
Prova a nível de escola (1ª fase) 


Virginia Woolf, A Viúva e o Papagaio

Imprevisível, divertido e inteligente, este conto acompanha a aventura da Sra. Gage, uma velha viúva que descobre uma herança inesperada com a ajuda de um papagaio invulgar. "Não está ninguém em casa!", "Não está ninguém em casa!" é só o que o papagaio James sabe dizer, mas ele esconde um segredo, assim como esta história esconde uma lição…



PARTICIPA!

Fevereiro... mês dos afetos e dos valores!

Tolerância

"Ser-se capaz de aceitar a diferença é um sinal de maturidade. Aquelesque são diferentes, nem por isso, são inferiores".

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Fevereiro... mês dos afetos e dos valores!


Perseverança 

"Há capacidades que ficam por desenvolver devido à falta de perseverança. Os verdadeiros sucessos são feitos de esforços, de desilusões, de novas tentativas e, por vezes, de muitos sacrifícios."

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Fevereiro... mês dos afetos e dos valores!



Humildade

"As pessoas que têm verdadeiro valor não gostam de se exibir. São discretas e atentas aos outros".

sábado, 10 de fevereiro de 2018

Fevereiro... mês dos afetos e dos valores!


                    

Se fores capaz

Se fores capaz de manter a tua calma quando  
Todo o mundo ao teu redor já a perdeu e te culpa;
De crer em ti quando estão todos duvidando,  
E para esses no entanto achar uma desculpa; 
Se fores capaz de esperar sem te desesperares,
Ou, enganado, não mentir ao mentiroso,
Ou, sendo odiado, sempre ao ódio te esquivares,
E não parecer bom demais, nem pretensioso;

Se fores capaz de pensar -- sem que a isso só te atires,
De sonhar -- sem fazer dos sonhos teus senhores.
Se encontrando a desgraça e o triunfo conseguires
Tratar da mesma forma a esses dois impostores; 
Se fores capaz de sofrer a dor de ver mudadas 
Em armadilhas as verdades que disseste, 
E as coisas, por que deste a vida, estraçalhadas,
E refazê-las com o bem pouco que te reste;

Se fores capaz de arriscar numa única parada 
Tudo quanto ganhaste em toda a tua vida, 
E perder e, ao perder, sem nunca dizer nada, 
Resignado, tornar ao ponto de partida; 
De forçar coração, nervos, músculos, tudo 
A dar seja o que for que neles ainda existe,
E a persistir assim quando, exaustos, contudo,
Resta a vontade em ti que ainda ordena:
"Persiste!";

Se fores capaz de, entre a plebe, não te corromperes
E, entre reis, não perder a naturalidade,
E de amigos, quer bons, quer maus, te defenderes,
Se a todos podes ser de alguma utilidade,
E se fores capaz de dar, segundo por segundo,
Ao minuto fatal todo o valor e brilho,
Tua é a Terra com tudo o que existe no mundo
E o que mais --
tu serás um homem!

 Rudyard Kipling Joseph (1865-1936)- Prémio Nobel da Literatura em 1907

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Fevereiro...mês dos afetos e dos valores




Solidariedade


A solidariedade é...

...um caminho que ajuda a
construir um mundo
mais justo,
um mundo amigo
daqueles que mais sofrem,
um mundo mais humano.


A solidariedade
exige pequenos gestos
a pensar nos outros.

Missionárias Dominicanas do Rosário
Projeto Mahotas

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

6 de fevereiro - Dia da Internet Mais Segura

Cria e partilha com responsabilidade: Uma Internet melhor começa contigo.


Fevereiro - mês dos afetos e dos valores



Concurso - Ilustrar afetos... lendo contos!"

Depois de publicados os contos sobre a verdadeira riqueza e sobre a amizade, publicaremos o último dos contos selecionados: GRATIDÃO.

Lê com atenção e ilustra.

"De graça

    O nosso filho foi ter com a mãe e entregou-lhe um papel. Depois da mãe limpar as mãos ao avental, leu-o:

    Por cortar a relva 5,00€
    Por limpar o quarto esta semana 1,00€
    Por ir fazer um recado à loja 0,50€
    Por tomar conta do meu irmão 0,25€
    Por ir pôr o lixo lá fora 1,00€
    Por trazer boas notas 5,00€
    Por limpar e varrer o quintal 2,00€
   Total em dívida: 14,75€

    A mãe ergueu o olhar e ele ficou ali à espera. 
    Ela pegou no papel, voltou-o e escreveu:

-Nove meses em que te transportei enquanto estavas dentro de mim: de graça.
-O tempo em que estive sentada a teu lado a tratar-te, e em que rezei por ti: de graça.
-Todas as lágrimas que me fizeste chorar ao longo dos anos: de graça.
-Todas as noites povoadas de medo e preocupações que sei que me esperavam: de graça.
-Por brinquedos, comida, roupa, e até por te assoar: de graça, meu filho.
-E depois de somar tudo, o amor verdadeiro é... de graça.

    Quando o nosso filho leu o que a mãe escreveu, os olhos encheram-se-lhe de lágrimas. Ele olhou de frente para a mãe e disse: 
    
    “Mãe, amo-te mesmo muito.” Depois pegou na caneta e em grandes letras escreveu: “CONTA SALDADA.”

M. Adams
Canja de galinha para a alma
Mem Martins, Lyon Edições, 2002
Texto adaptado

Fevereiro - mês dos afetos e dos valores

"O bonito da vida é poder embelezar Sonhos, bordar histórias e pintar realidades."


autor desconhecido

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Fevereiro - mês dos afetos e dos valores

https://wallpaperlepi.com

Concurso de ilustração

Poderás ler, aqui, o conto sobre amizade, selecionado para o concurso: "Ilustrar afetos... lendo contos!"

Boas leituras e muita inspiração, criatividade e imaginação...

"Um amigo verdadeiro

    Sempre que Rogério sai de casa, esquece-se de alguma coisa. Quando se lembra, já é tarde demais.
    E o que é que Rogério faz? Absolutamente nada. Só pensa: “Ainda bem que tenho o João”.
     O João é o seu melhor amigo, um amigo a sério, um amigo com quem se pode contar.
    O Rogério sabe muito bem o que é um amigo com quem se pode contar. Sempre que ele se esquece de alguma coisa, é o João que o livra de apuros.

     O Rogério vai para a escola sem sapatilhas.
    — Logo vi que ias esquecer-te! — diz o João, tirando um par de meias grossas do saco de ginástica, que entrega ao Rogério.

    O Rogério chega ao parque sem bola.
    — Logo vi que ias esquecer-te!

    O João tem escondida atrás das costas a sua própria bola, que lhe estende.

    O Rogério vai com o João à feira popular e não leva dinheiro na carteira.
   — Logo vi que ias esquecer-te! — E como não se pode andar no carrocel sem pagar, o João tira uma moeda do bolso.

    E é assim dia após dia: o Rogério esquece-se sempre de alguma coisa, o João, nunca… ou será que não?

    Não. O João esquece-se sempre dos lápis de cera. Não adianta esforçar-se por fazer a pasta a tempo e horas. Quando chega a aula de desenho, o João não tem os lápis de cera na pasta.

   O Rogério sabe que o João se esquece sempre deles, e por isso ele, Rogério, pode esquecer-se de tudo o que há no mundo, só não se esquece dos lápis de cera.
Estão na aula de desenho. O Rogério tira os seus lápis da pasta e põe-nos em cima da carteira. O João volta a ficar corado de vergonha porque deixou os lápis em casa, no quarto.
    
Então, o Rogério sorri e tira da pasta outra caixinha de lápis de cera, que pousa em cima da carteira do João.
— Logo vi que ias esquecer-te! — diz ele a sorrir."


Lene Mayer-Skumanz (org.)
Hoffentlich bald
Wien, Herder Verlag, 1986
Texto adaptado

"Faça lá um Poema" - concurso do PNL


          O Plano Nacional de Leitura (PNL2027) e a Fundação Centro Cultural de Belém (CCB), com intenção de incentivar o gosto pela leitura e pela escrita de poesia, convidam os alunos do 3º Ciclo do ensino básico e do ensino secundário, das escolas públicas e privadas do continente e ilhas, a participar no Concurso FAÇA LÁ UM POEMA, que decorrerá entre fevereiro e março de 2018.

Os poemas a concurso devem ser enviados para o PNL2027, em formulário próprio do Sistema de Informação do PNL2027 (SIPNL) onde constam os elementos de identificação dos concorrentes, até ao dia 26 de fevereiro de 2018.

           A apresentação pública dos poemas selecionados terá lugar no Centro Cultural de Belém, no âmbito das comemorações do DIA MUNDIAL DA POESIA, que se celebra a 21 de março de 2018.

           Os autores dos textos premiados podem ler os seus poemas na Maratona de Leitura do CCB, indicar alguém que os leia por si ou permitir a um declamador que o faça.

sábado, 3 de fevereiro de 2018

Concurso de ilustração


Ilustrar afetos... lendo contos!

No âmbito da comemoração do mês de fevereiro, como sendo o mês dos afetos e dos valores, a BE convida todos os alunos a participarem no concurso, acima mencionado.

A ilustração será feita, partindo da leitura de contos: "Ser verdadeiramente rico"; "Gratidão" e "Amizade".

Consultar regulamento AQUI!
Contamos com a tua participação!

Fevereiro - mês dos afetos e dos valores


SER VERDADEIRAMENTE RICO

      Este foi o meu primeiro aniversário longe de casa.
Senti falta da minha mãe, da minha irmã, e seguramente do bolo especial que a minha mãe sempre fazia.
    Este ano, desde que entrei para a universidade, invejo os caloiros que recebem encomendas dos pais nos seus aniversários — aliás, até nos dias normais. Em vez de me sentir empolgada com o facto de fazer 18 anos, sinto-me vazia. Gostava que a minha mãe me enviasse algo também, mas sei que não tem dinheiro para o presente ou sequer para os portes de envio.

      Fez sempre o melhor que pôde pela minha irmã e por mim. Criou-nos sozinha. E a verdade é que nunca houve dinheiro suficiente. Mas isso não a impediu de nos ajudar a sonhar. “Podes ser aquilo que quiseres ser”, dizia ela. “Política, bailarina, escritora, tens apenas de trabalhar para isso, tens de apostar na tua educação.”

    Durante muito tempo, por causa do esforço e habilidade da minha mãe, não compreendi que éramos pobres. Ela conseguia fazer tanto com tão pouco! Tratava da nossa casa com verdadeiro empenho e zelava pelos canos com mais de 40 anos e pelo aquecedor a óleo para que nos mantivéssemos quentes durante os invernos gélidos. 
      Vestia-nos e alimentava-nos. Conseguiu que tivéssemos bolsas para estudarmos violino e piano com os melhores professores de Filadélfia.

      Nunca deixava passar nenhuma oportunidade para falar com os nossos professores e assistia a todas as nossas apresentações musicais e teatrais. 
      A minha mãe tinha muita esperança na minha irmã e em mim. E compreendeu que o modo de sairmos da pobreza era a educação. 
      Não brincávamos sempre na rua como as outras crianças, nem ficávamos no alpendre até tarde, a conversar e a rir com os vizinhos. Ficávamos em casa a fazer os trabalhos escolares e a ler livros. A minha mãe sentava-se connosco, enquanto cumpríamos as nossas tarefas, e ensinava-nos a estudar, incitando-nos a consultar
enciclopédias ou a recorrer às bibliotecas.
E fazia tudo isso com um salário manifestamente insuficiente.

      Nunca comprou nada que pudesse ela própria fazer e apenas em casos de emergência recorria às suas poupanças, que guardava num banco do centro da cidade.
      Graças aos grandes sonhos e sacrifícios da minha mãe, consegui chegar à Ivy League, na Universidade de Brown, em Rhode Island. Mesmo assim, tive medo de não estar à altura dos meus colegas. Pareciam-me confiantes e aparentavam ser ricos.

Senti-me perdida e deslocada por vezes.

      Enquanto sonhava acordada, bateram à porta. A minha colega de quarto abriu e um homem dos correios perguntou por mim. Entregou-lhe uma caixa retangular e grande, que ela colocou cuidadosamente sobre a secretária ao pé da minha cama.
Abri-a e lá dentro estava um bolo de baunilha com cobertura de chocolate.
Escrita com maçapão estava a mensagem: 

Feliz Aniversário, Sande! Com amor, mãe e Rosalind.

Foi como se a minha mãe estivesse mesmo ali, a abraçar-me!

Como tinha conseguido pagar o envio?

Saí do quarto e bati à porta do dos meus colegas. 

“Bolo de aniversário”, gritei.
      Ao cortar depois o bolo para os dez colegas que reunira no quarto, e ao observar os seus rostos enquanto comiam, percebi que eu não precisava de comer para me sentir satisfeita e rica por dentro.

Sande Smith

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Fevereiro - mês dos afetos e dos valores



                                       https://www.google.pt/search?q=afetos+valores

Na sociedade de intolerância, de ódios, de adversidades e de falta de valores e afetos em que vivemos atualmente, torna-se pertinente dedicarmos momentos específicos para trabalhar este tema.
Lembrarmo-nos daqueles que pela sua forma de estar na vida, fazem por justificar os valores da existência humana, é importante.
Deste modo, a BE irá, ao longo do mês de fevereiro, dinamizar várias atividades que permitam uma chamada de atenção, para este tema: exposições patentes no átrio da BE, destaque do fundo documental, promoção de um concurso de ilustração partindo da leitura de contos com "valor", entre outras.

Pretende-se contribuir, também, para a construção do "Perfil do aluno à saída do Ensino Básico", sobretudo no que diz respeito a:

*promover a formação de jovens que que valorizem o respeito pela dignidade humana, pelo exercício da cidadania plena, pela solidariedade para com os outros e pela diversidade cultural;

*proporcionar aos alunos momentos para desenvolver competências e exprimir valores, analisando criticamente as ações que deles derivam, e tomar decisões com base em critérios éticos;

*dotar os alunos de literacia cultural, científica e tecnológica que lhe permita analisar e questionar criticamente a realidade, avaliar e selecionar a informação, formular hipóteses e tomar decisões fundamentadas no seu dia a dia;

*contribuir para a formação de alunos livres, autónomos, responsáveis e conscientes de si próprios e do mundo que o rodeia.

"Reviver Anne Frank"

"Reviver Anne Frank", foi o tema do Memorial às Vítimas do Holocausto Nazi, que a Biblioteca Escolar escolheu, para o ano de 2018.
Aqui fica o testemunho, através de algumas fotografias da atividade
.